domingo, 31 de maio de 2015

1ª Comunhão da mirim e muita doçaria para festejar

Está crescida! O meu bebé já fez a 1ª comunhão! Não dá para acreditar como o tempo passa depressa. Fizemos uma festa boa, com uma ausência enorme que quero acreditar, acompanhou tudo lá do alto, mas ainda assim uma festa boa.


Para começar dois queijos camembert, um com tomilho, alho e azeite; o outro com mel, alecrim e nozes, forno a 180ª por 15-20 minutos e estão prontos para servir com tostas ou pão rústico torrado.

E passamos directo da casa partida para o fim do jogo: As sobremesas
Para não quebrar  a tradição dos eventos familiares uma pavlova recheada com uma mistura generosa de frutos vermelhos. Acompanhei à parte com um creme de mascarpone e natas porque há quem não goste dele misturado na fruta. O creme faço com 250g de queijo batido com 1 chávena de açúcar em pó e raspa de um limão, junto então 200 ml de natas bem batidas e está pronto.

A pavlova rachou mas as falhas que se veem na foto são obra de um ratito que aproveitou para tirar umas plaquinhas. Acusada do facto ainda tentou convencer-me que tinham caído. Pois...caíram e evaporaram...


A panna cotta de coco e maracujá  foi um improviso, mais uma vez inspirado no Pinterest, que podia ter corrido muito mal. Não fazia a mais pequena ideia das quantidades de gelatina que devia usar. Arrisquei assim e correu bem:
Usei 400 ml de leite de coco que completei com natas e leite de vaca até obter 1 litro. Fervi a mistura de leites e natas com 6 sementes de cardamomo. Juntei 10 folhas de gelatina incolor previamente amolecida. Deixei no frio até ao dia seguinte.
para o molho usei uma lata de polpa de maracujá fervida com um pouco de açúcar e 2 gemas de modo a obter um creme parecido com um curd mas muito menos espesso.
Na hora de servir desenformei a panna cotta, reguei com o molho de maracujá e completei com flocos de coco torrados na frigideira no momento, para ficarem bem crocantes. 

Para finalizar o bolo, ou melhor os bolos, da 1ª comunhão.

Estes queques foram feitos com uma receita de bolo 4 quartos ( 225 g de manteiga amolecida batida com 225 gr de açúcar+4 ovos e por fim 225 gr de farinha com fermento peneirada. O segredo deste bolo é bater tudo muito bem menos a farinha, que apenas deve ser envolvida)
Depois de frios abri um buraco no meio de cada bolo e deixei uma tampinha ( comi tanto centro de bolo...) recheei com uma mistura de creme de mascarpone e frutos vermelhos cortados em pequenos cubos. Tapei com a tampa de bolo e cobri com uma rodela de massa de açúcar. Guardei no frio até a altura de servir. A folha de açúcar estampada também só coloquei no último momento, é frágil e desbota com a humidade.



Há 12 anos a manter as tradições

E foi assim mais um aniversário com direito a bolo escolar e a festa sleepover em casa.

O bolo da escola ficou por conta do bolo brigadeiro, um clássico que nunca falha sobretudo se for bem ataviado com toda a sorte de doçarias coloridas.




A festa caseira teve por tema o computador. Concepção do júnior feito à medida da grande jogatana, foi o grande presente.

Tive então a ideia, totalmente inspirada no pinterest, de fazer as 3 teclas: ctrl alt delete. Ficaram tortas e muito pouco profissionais mas toda a gente gostou. Os bolos foram feitos com a receita base génoise a inovação foi a manteiga de amendoim e a nutella que deitei sobre a massa, já depois de a deitar nas formas. Deixei a massa bem marmoreada com estes dois cremes e os bolos depois de assados ficaram com uma espécie de recheio.


Montei uma estação de sandes com pão bem molinho e uma serie de coisas boas para por lá dentro: queijo, fiambre, nutella e manteiga de amendoim. Cada um fazia a seu gosto. Assim se agrada a todos...

A decoração foi inspirada nas linhas de código. Não vale a pena tentar traduzir porque aldrabei tudo. Ainda tive  aldeia de escrever, nos copos, o nome dos convidados em código binário. Ignorância minha que não tinha ideia de quantas linhas são precisas para escrever simplesmente "João", desisti e inventei, ninguém reclamou dos meus "erros ortográficos".


E para o ano haverá mais